Manifesto contra a violência no campo e na cidade.
A terrível notícia do assassinato ontem à noite da Yalorixá Maria Bernadete Pacífico, líder do Quilombo Pitanga dos Palmares, soma-se, de modo insuportável, às mortes em São Paulo e a tantas outras que ocorrem pela ação de grupos armados ou por ações policiais.

O que têm em comum é a disputa selvagem por poder e a extrema desigualdade socio territorial que retarda o nascimento de um país generoso e justo. A violência direta, registrada no índice de homicídios, e a violência da exclusão (ausência de acesso à moradia adequada, saneamento, escolaridade e trabalho) traçam nas nossas cidades verdadeiras zonas de guerra.

O Instituto de Arquitetos do Brasil une-se à dor das famílias e afirma sua posição contra toda forma de violência, em todos os âmbitos.