UIA2020Rio é apresentado para arquitetos de vários países em evento da Unesco | IAB Brasil

UIA2020Rio é apresentado para arquitetos de vários países em evento da Unesco

Data: 18/02/2020

Departamento: Nacional

Arquitetos de várias partes do mundo e representantes diplomáticos de diversos países formaram a plateia que assistiu, hoje pela manhã, na sede da Unesco em Paris, a apresentação da programação geral do UIA2020, que acontecerá no Rio de Janeiro de 19 a 23 de julho. 

O evento, promovido pela Delegação Permanente do Brasil na Unesco e pela UIA, contou com a presença do Diretor Geral de Cultura da Unesco, Ernesto Ottone, do Delegado Permanente do Brasil junto à Unesco, Embaixador Santiago Mourão, do Embaixador Antônio Fernando de Melo como representante do Prefeito do RJ, Marcelo Crivella. do Presidente do Comitê Executivo do UIA2020, Sérgio Magalhães e do Presidente da UIA, Thomas Vonier, entre outras autoridades. 

A apresentação do 27º Congresso Mundial de Arquitetos UIA2020Rio foi feita pelo Presidente do IAB, Nivaldo Andrade. Em seu discurso, ele destacou que “a oportunidade de reunir, no Rio, milhares de arquitetos de todo o mundo, além de gestores públicos e profissionais de áreas afins, é a situação ideal para compreender o que nos aproxima, o que nos diferencia e quais soluções vêm sendo adotadas, nas diversas regiões do planeta, para enfrentar desafios complexos das grandes cidades”. 

UIA2020Rio – Com o tema “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, o congresso irá trazer quatro eixos temáticos que definem uma matriz em que se agruparão as Conferências, Mesas Redondas, Mostras, Workshops e demais eventos. São eles: Diversidade e Mistura; Mudanças e Emergências; Fragilidades e Desigualdades e Transitoriedades e Fluxos. 

“São questões universais para compreender como nós podemos contribuir para criar melhores condições de vida em um mundo em constante transformação -  um mundo cada vez mais integrado e uniforme, porém no qual é preciso preservar as singularidades de cada lugar. Um mundo em que as mudanças climáticas, tecnológicas e sociais demandam dos arquitetos novas formas de trabalhar”, acrescentou Nivaldo durante a apresentação. 

Confira abaixo discurso de Nivaldo Andrade: 

"Há seis anos, o Instituto de Arquitetos do Brasil decidiu apresentar à União Internacional dos Arquitetos a candidatura do Rio de Janeiro para sediar, pela primeira vez no Brasil, o Congresso Mundial de Arquitetos.

A candidatura, que saiu vencedora, teve como motivação principal a compreensão do papel fundamental do arquiteto na elaboração de soluções para os problemas do dia a dia dos nossos grandes centros urbanos. 

O Rio de Janeiro, cuja região metropolitana conta com 13 milhões de habitantes, é um exemplo extremamente rico da complexidade e dos desafios das cidades mundiais.

A oportunidade de reunir, no Rio, milhares de arquitetos de todo o mundo, além de gestores públicos e profissionais de áreas afins, é a situação ideal para compreender o que nos aproxima, o que nos diferencia e quais soluções vêm sendo adotadas, nas diversas regiões do planeta, para enfrentar problemas semelhantes.

O tema geral “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21” se desdobra em quatro eixos temáticos que partem de questões universais para compreender como nós podemos contribuir para criar melhores condições de vida em um mundo em constante transformação. 

O Rio de Janeiro é uma cidade privilegiada para nos ajudar a pensar a arquitetura do século XXI. É um laboratório singular de como a arquitetura pode colaborar para enfrentar os desafios contemporâneos de um mundo em rápida transformação.

É nesse contexto que o Rio sediará o 27º Congresso Mundial de Arquitetos, momento de reflexão e de elaboração de propostas para a construção de um mundo melhor.

Arquitetos, pesquisadores, construtores, movimentos da sociedade, empresas de tecnologia e de sistemas, instituições acadêmicas e multilaterais, representações políticas e de países estão convidados a trocar experiências, a debater e a formular propostas para o futuro das cidades.

É um encontro para ajudar a construir cidades socialmente mais justas, com oportunidades para todos. Como sabemos, isso se faz com ideias, mas não só com ideias. Também com tecnologia, com ciência, com negócios, com boa vontade e com arte e beleza.

O Congresso será realizado no Rio, mas é um congresso do mundo, de cada um de seus países, de todos os países.

O que se quer para as cidades e para as metrópoles do mundo que também se revelam em desigualdade e segregação? Quais as boas experiências mundiais quanto à construção de moradia social e de equipamentos? 

E de infraestrutura? Que boas experiências e bons sistemas quanto à mobilidade? Quanto à tecnologia, ao planejamento e à gestão de cidades e metrópoles?

E a realidade das favelas, central na cidade deste século?                                        

Quais compromissos precisam ser estabelecidos? Poderemos construir uma agenda comum para 2025 e 2030?

Cada uma de suas experiências será muito bem-vinda.

O Congresso Mundial quer ser um agente significativo para um mundo melhor. E precisa da participação de todos, compartilhando suas experiências. Cada um será muito bem-vindo no Rio, cidade que sabe acolher com simpatia, com espírito positivo e, por que não dizer, sabe acolher também com alegria e festa.

Todos os Mundos. Um Só Mundo. Arquitetura 21. 
Rio 2020.

Obrigado, em nome do Instituto de Arquitetos do Brasil, a todos que vieram à sede da Unesco na manhã de hoje".

18 de fevereiro de 2020

Post sem comentários! Comentar o post