Presidente do IAB e Glesi Hoffmann falam sobre o RDC na Folha de S.Paulo

Data: 28/04/2014

Departamento: Nacional

O Regime Diferenciado de Contratações (RDC) está na pauta do Congresso para ser estendido a todas as obras públicas. O RDC foi criado, inicialmente, para acelerar a licitação de obras relacionadas à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos. Logo depois, foi estendido também a obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do Sistema Único de Saúde (SUS) e do sistema público de ensino. Agora, o governo pretende ampliar o RDC para todas as licitações de obras das administrações públicas federal, estaduais e municipais. O aumento da abrangência do Regime deve ser definido nos próximos dias, com a votação da Medida Provisória 630/2013 pelo Senado. A MP já foi aprovada pela comissão especial formada por deputados e senadores e pelo plenário da Câmara dos Deputados.

Intensa campanha foi desenvolvida por todas as entidades nacionais da arquitetura e do urbanismo, por diversas entidades de consultoria e por associações representativas da engenharia contrárias ao RDC por julga-lo nocivo ao desenvolvimento nacional, à transparência nos gastos públicos e um estímulo à corrupção.
 
Neste fim de semana, o jornal Folha de S.Paulo convidou o presidente do IAB, Sérgio Magalhães* e a senadora Gleisi Hoffmann** para responder à questão “Licitação de obras públicas deve ser simplificada?”. A senadora, que também é relatora da Medida Provisória, defendeu o seu ponto de vista, enquanto o presidente do IAB se colocou contrário e ilustrou o que pretende ser realizado: “O limite da simplificação é o gestor público chamar o empreiteiro seu amigo e lhe dizer: ‘Faça essa obra. Eu não sei bem o que eu quero, mas você pode começar. Meu povo garante os dinheiros.’”.

*Leia na íntegra o artigo de Sérgio Magalhães, publicado originalmente na Folha de São Paulo, no dia 26 de abril. Clique no link Atalho para Malfeitos
**Leia na íntegra o artigo de Gleisi Hoffmann, publicado originalmente na Folha de São Paulo, no dia 26 de abril. Clique no link Quem tem medo do RDC?


Clique no link abaixo e leia também o documento “As obras públicas e o Direito à Cidade”, assinado pelas entidades nacionais da arquitetura e do urbanismo. As obras públicas e o Direito à Cidade
 

Post sem comentários! Comentar o post

Comentários (01)

A questão senhores, é que aqui no Rio, entre os arquitetos ninguém confia no Sr. Sérgio Magalhães!
"Ele representa ele mesmo" e o grupo que deixou no IAB/RJ, prontos para "surrupiar" um concurso ou uma licitação pública, sem dar oportunidade a ninguém!
O IAB aqui só se utiliza da mídia on line para levar esta questão a frente, e esconder os erros cometidos principalmente em concursos promovidos pelo Sr. Sérgio Magalhães! Se vocês querem isso... tudo bem, mas se querem um opinião da classe, promovam debates e ouçam outros milhares de arquitetos que o colocaram no Ministério público e ganharam!!! Estamos aguardando a oportunidades dos debates e não só de ler manchetes, existem questões importantes levantadas pela Ministra que não nos são levadas por estes representantes! queremos saber a verdade e opinar integralmente.

responda esse comentário>>