O compromisso e o legado do Congresso UIA2020RIO | IAB Brasil

O compromisso e o legado do Congresso UIA2020RIO

Data: 25/01/2020

Departamento: Nacional

O presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA), Thomas Vonier, e a diretoria da entidade estão  no Rio de Janeiro até o dia 26 de janeiro. Na primeira Capital Mundial da Arquitetura, eles se reuniram com representantes do 27º Congresso Mundial de Arquitetos para acompanhar os preparativos e visitar as locações do evento que será realizado na Região Portuária do Rio. A agenda inclui ainda a abertura da exposição Instituto de Arquitetos do Brasil - Rumo ao Centenário, no Museu Nacional de Belas Artes.  O evento abre as comemorações para os 100 anos da entidade, em 2021.

Ainda em Paris, sede da entidade, Thomas Vonier concedeu esta entrevista ao site do Rio Capital Mundial da Arquitetura abordando temas como a importância do título inédito concedido à cidade, os desafios para os espaços urbanos e que contribuições o Rio de Janeiro poderá deixar para todo o mundo com a ampla programação prevista para 2020.

Ao longo de todo o ano, a cidade sediará, além do congresso, uma série de eventos como exposições, workshops, palestras e concursos públicos. Além de mostrar para o mundo a riqueza arquitetônica do Rio, esta titulação é também uma oportunidade de reflexão sobre o futuro, de planejar o que se quer para as cidades de todo o mundo. “O Rio de Janeiro deixará o exemplo de uma cidade maravilhosa, bonita e rica fazendo todo o possível para melhorar a vida do seu povo através do design”, afirma Vonier.

RCMA – Qual é o significado do título Capital Mundial da Arquitetura?
Thomas Vonier – Essa designação tem significado e prestígio globais porque carrega o peso de duas instituições de renome internacional: UNESCO e UIA. As cidades que conquistam esse título abrigam obras altamente significativas de arquitetura e design urbano, históricas e contemporâneas. Elas são verdadeiramente lugares de patrimônio mundial e de valor universal excepcional. Nesse caso, a própria cidade do Rio de Janeiro ocupa um lugar significativo no patrimônio cultural mundial por sua geografia e sua arquitetura, é claro, mas também pela culinária, dança, música, arte e idioma.

RCMA – Que contribuições podem surgir para as cidades do mundo a partir deste ano de eventos no Rio de Janeiro?
Thomas Vonier – O Rio de Janeiro provavelmente possui uma das populações urbanas mais jovens do mundo, enfrentando todas as promessas e desafios das megacidades no século XXI. Com os cidadãos do Rio e seu governo municipal, estamos trabalhando com os arquitetos do Brasil para mostrar como uma grande cidade está lidando com dificuldades e aproveitando oportunidades. As cidades de todos os lugares podem aprender com as medidas construtivas que estão sendo adotadas nas favelas do Rio, sobre a revitalização urbana da orla, e sobre o uso de instituições culturais para estimular o crescimento econômico e o desenvolvimento. Não estamos escondendo o fato de o Rio ter problemas – o mesmo acontece com todas as principais cidades do mundo – mas estamos tentando mostrar exemplos de ideias práticas que funcionam.

 RCMA – Quais são os principais desafios para os espaços urbanos ao longo das próximas décadas?
Thomas Vonier – Nossos principais desafios são socioeconômicos e ambientais. Dos 7,5 bilhões de habitantes do planeta, ao menos 1 bilhão vivem em situação de miséria e pobreza. Nós devemos elevar a qualidade de vida para todas as pessoas. Nisso, design e arquitetura têm papéis importantes. Muitas infraestruturas urbanas são subutilizadas e até abandonadas. Setores inteiros de cidades – especialmente áreas antes dedicadas à indústria pesada – precisam de atenção, reabilitação e revitalização. Estamos vendo todos os dias os custos dos danos ambientais e do desmatamento, sob a forma de clima extremo. Se as cidades são a principal origem de degradação ambiental, elas também podem se tornar centros de regeneração, inovação e de novas abordagens eficientes e menos prejudiciais.

 
RCMA – Que exemplos o Rio de Janeiro pode deixar para o mundo a partir do Rio2020?
Thomas Vonier – Mostraremos como arquitetos, cidadãos e líderes municipais podem combinar esforços para apresentar esperança, soluções positivas e ideias. Vamos demonstrar como a educação pública pode ajudar funcionários, líderes empresariais e pessoas comuns a verem o valor do bom design, de investir em boa arquitetura e em edifícios de excelência. Nós mostraremos como instituições culturais – museus, escolas, universidades, bibliotecas – podem estimular o ativismo e o entusiasmo pelo engajamento. O Rio de Janeiro deixará o exemplo de uma cidade maravilhosa, bonita e rica fazendo todo o possível para melhorar a vida do seu povo através do design.

 

Post sem comentários! Comentar o post