Dora Alcântara receberá Colar de Ouro do IAB

Data: 29/04/2020

Departamento: Nacional


A Arquiteta e Urbanista Dora Alcântara será a segunda mulher a receber o Colar do IAB pela sua contribuição à arquitetura brasileira e à preservação do patrimônio cultural nacional. A apresentação e aprovação da indicação aconteceram durante a 158ª reunião do Conselho Superior do IAB, a primeira que aconteceu virtualmente nos 99 anos de história da entidade, entre de 16 a 18 de abril de 2020. 

Para Nivaldo Andrade, presidente do IAB, “a outorga do Colar a Dora é extremamente pertinente por diversas razões. Primeiro, pela inestimável contribuição que tem dado à preservação do patrimônio cultural no Brasil, como arquiteta do IPHAN, como professora na UFRJ, nos projetos que elaborou e nos livros que publicou, dentre muitas outras frentes. O projeto dela e do seu parceiro de vida e trabalho, Antônio Pedro Alcântara, de restauro e adaptação do Solar São Luís em sede da Caixa Econômica Federal no Maranhão, é um interessante exemplo de como inserir arquitetura nova em um edifício histórico que, por um sinistro, foi reduzido à caixa envoltória. Outro aspecto que merece ser destacado é que Dora é apenas a segunda arquiteta a receber a comenda máxima do IAB: a primeira foi Rosa Kliass no ano passado. É importante que o IAB reconheça a dívida histórica que tem com as grandes arquitetas que dignificaram a nossa profissão e qualificam as cidades brasileiras. A entrega dessa comenda é, portanto, uma honra para o IAB”. 

Dora recebeu a notícia da aprovação unânime da outorga do Colar com muita alegria. O presidente do IAB-RJ, Igor de Vetyemy, foi quem falou com ela e destacou que a principal satisfação da arquiteta foi “ver o IAB homenageando profissionais que dedicaram a vida inteira a ações cuja importância não se registra nas páginas de seus currículos, mas sim no desenvolvimento da cultura do país, como o magistério e o patrimônio, duas de suas contribuições mais extensas à nossa sociedade".

Integrante da recém criada Comissão de Equidade de Gênero do IAB, Raíssa Monteiro, destaca que essa reparação em relação ao histórico de premiação do IAB – foram 42 homens homenageados – foi uma das principais reinvindicações do grupo e a escolha de Dora veio ao encontro desse anseio. “O IAB deve rever esta desvantagem histórica no reconhecimento do trabalho e da obra de arquitetas mulheres e, também, de arquitetas negras”. 


Sobre Dora Monteiro e Silva de Alcântara (Rio de Janeiro, 1931) 

Estudiosa da Azulejaria luso-brasileira, suas principais atividades são as ações em defesa da preservação do patrimônio cultural e do ensino da arquitetura brasileira. Próxima de completar 90 anos, chega a essa idade ativa e com impressionante energia e dedicação, como sócia titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro – IHGB no Rio de Janeiro, Petrópolis e Paraguai; como membro do Conselho Estadual do Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil – IAB/RJ; e como sua representante junto ao Conselho Estadual de Tombamento do Instituto Estadual de Patrimônio Cultural - Inepac. 

A arquiteta já havia recebido homenagens e prêmios do IAB/RJ, nas 8ª e 9ª Premiações Anuais, mais de 40 anos atrás. Também recebeu homenagens da FAU/UFRJ e do Iphan, sendo distinguida com a medalha de Mérito Profissional, no Conselho Regional de Arquitetura, Engenharia e Agronomia do estado do Rio de Janeiro – CREA/RJ; foi indicada pelo IAB/RJ no ano de 2003 para receber a homenagem 10 mulheres pioneiras em suas profissões – “ARQUITETAS E ENGENHEIRAS: mulheres à frente de seu tempo”, realizada pelo Clube de Engenharia, IAB/RJ, pela Academia Nacional de Engenharia- ANE, ABEA e SEAERJ. 

Em Lisboa, Portugal, recebeu o prêmio SOS Azulejo em 2018, na categoria “Personalidade”, por sua “obra científica da maior relevância” e por ser autora de grande projeção no estudo do azulejo luso-brasileiro.

Post sem comentários! Comentar o post