O diretor cultural do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e Presidente do IAB-DF, Luiz Eduardo Sarmento, foi um dos nomes que fizeram a abertura institucional do I Seminário de Emergência Climática e Cidades, que aconteceu entre os dias 1º e 3 de agosto de 2023, no IAB São Paulo. Mais de 2.000 pessoas de 18 estados brasileiros participaram do Seminário Emergência Climática e Cidades! Esse alcance revela o interesse na interseção temática de clima e cidade e confirma a importância de fortalecer a produção e a difusão de conhecimento sobre esse tema.

Dentre as pessoas que estiveram presentes:
– 40% têm entre 20 e 29 anos;
– 22% se autodeclararam pretas e pardas;
– 28% residem fora do estado de São Paulo;
– 30% consideram residir em área vulnerável a eventos climáticos extremos;
– 75% atuam no campo de arquitetura e urbanismo.

Por meio de trocas de experiências sobre mitigação e adaptação aos efeitos das mudanças do clima no meio urbano, o I Seminário Emergência Climática e Cidades pretendeu engajar arquitetos urbanistas e os setores público, privado, não governamental e acadêmico no fortalecimento da agenda climática urbana brasileira.

“Depois de décadas de alertas da comunidade científica, hoje já sentimos os impactos do aumento das temperaturas. Tempestades, ondas de calor e enchentes estão mais intensas e frequentes e causam doenças, mortes e remoções nas cidades. O racismo ambiental se aprofunda, já que tais eventos atingem desproporcionalmente a população preta e periférica”

Para o IAB, nesse novo contexto, a pauta ambiental precisa tomar forma na gestão urbana e no pensamento arquitetônico, em desafios como mobilidade, águas, redução de emissões da construção e adaptação do meio construído, em especial dos assentamentos informais. Parte da solução para esses desafios está no resgate da natureza como elemento da infraestrutura urbana, incorporando a função social e ecológica do solo e das águas em uma nova forma de pensar o ambiente construído.

Clique aqui e confira na íntegra o relatório de participação no I Seminário Emergência Climática e Cidades