Fonte: Revista Veja 

Criar um projeto seguro e acolhedor para meninas da região de Moçambique, África, foi o objetivo do concurso promovido pela Archstorming em benefício da ONG Kurandza, que busca erguer seu novo centro de ensino e teve um time de brasileiros como vencedor. Klaus Schmidt, do escritório KAS ARQ, está à frente do projeto juntamente com Carolina Souza, Debora Nunes e Juliana Akemi, cujo construção está prevista para 2023. O novo centro contará com salas de aula, creche, áreas de alimentação, lazer e convívio. Pensado para promover a máxima integração entre alunas e professores, o edifício desenhado em ‘U’ permitirá que as crianças explorem, brinquem e aprendam com mais liberdade, já que seu formato privilegia a integração entre alunos e professores.

Entre as premissas adotadas na concepção do espaço, estão a utilização de materiais de origem local, o emprego de sistemas construtivos simples, a autossuficiência energética e o respeito à natureza e às tradições locais. Desse modo, a sustentabilidade foi bastante contemplada no projeto. Além do formato semicircular que assegura a preservação das árvores existentes, foi prevista a instalação de de placas fotovoltaicas para captação de energia solar e a construção de reservatórios subterrâneos para armazenamento e reuso da água de chuva.