Pesquisador boliviano conta experiência de desenvolver projeto de restauração em comunidade tradicional

Autor: IAB-BA Data: 17/05/2013

Departamento: IAB BA

Experiências de preservação e restauração de patrimônios históricos em localidades tradicionais e remotas da América do Sul foram apresentadas na tarde desta quinta-feira (16), na programação do ArquiMemória 4. Coordenada pelo arquiteto João Virmond Suplicy (FPAA / IAB-PR), a mesa redonda  sobre A preservação do Patrimônio Edificado nas Américas reuniu arquitetos de Cuba, Panamá e Bolívia para relatar o desenvolvimento dos seus projetos nesses locais.

O arquiteto boliviano Gonzalo García falou sobre o envolvimento de comunidades na restauração de capelas de Curahuara de Carangas, pequena cidade de origem indígena com apenas mil habitantes. Ele destacou, ainda, a importância de respeitar costumes e até incorporar modos de fazer típicos das comunidades.

“Quando estávamos recolocando os tetos de palha, um morador nos apresentou uma técnica diferente para trançar a palha, que atestamos ser mais eficaz e durável”, exemplificou García, lembrando que a participação das comunidades foi tão intensa, que eram feitos rituais de celebração com orações e oferendas de animais, no início e ao final de cada uma das obras.

Além de García, participou ainda desta mesa Jeferson Navolar.

Promovido pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), através do Departamento da Bahia (IAB-BA), em parceria com a Faculdade de Arquitetura (FAUFBA) e o Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal da Bahia (PPG-AU/UFBA), o ArquiMemória 4 reuniu em Salvador pesquisadores, estudantes e profissionais de diversos países e estados brasileiros para discutir as relações entre as cidades e seus patrimônios construídos. O evento se encerra amanhã, sexta-feira (17), no Centro de Convenções da Bahia.

(Foto: Gonzalo Garcia - Crédito: ​Ricardo Prado | IAB-BA)

Post sem comentários! Comentar o post