Escola projetada por brasileiros é inaugurada em Guiné-Bissau

Data: 08/05/2015

Departamento: IAB DF

O Centro Educacional Amizade São Paulo, cujo projeto arquitetônico foi escolhido em concurso público organizado e totalmente custeado pelo IAB-DF, em 2010, oferece hoje educação integrada a quase 200 crianças. Inaugurado no dia 20 de novembro do ano passado, em Guiné-Bissau, na África, o centro foi viabilizado através de parcerias entre a Embaixada do Brasil em Guiné-Bissau, o Ministério da Educação Nacional e a Associação Amizade do Bairro São Paulo, com o apoio do IAB-DF, Fundação Gol de Letra, Agência Brasileira de Cooperação (ABC), Escritório da UNESCO no Brasil e Instituto Elos.

A cerimônia de inauguração do centro educacional contou com a presença da ministra da Educação Nacional, Maria Odete Costa Semedo, e do representante do governo brasileiro, o embaixador Fernando José Marroni de Abreu.

O projeto, de autoria compartilhada entre Bruno Giugliani, Cintia Gusson Etges e Karen Bammann, conta com três salas de aula, uma sala multiuso, dois campos poliesportivos, cantina, três oficinas para práticas recreativas e culturais e um poço de água equipado com painel solar. A proposta dos arquitetos era que o espaço se tornasse um lugar ativo para o desenvolvimento das pessoas, além de estabelecer um novo ponto de encontro para a comunidade local que oferecesse segurança e aconchego.

“Um dos objetivos do projeto era que o centro educacional servisse para instruir os moradores da comunidade Bairro São Paulo sobre as novas técnicas construtivas e também para que pudessem reproduzir o que aprenderam em suas próprias casas. Eles aprenderam, por exemplo, técnicas de criação de adobes, de sistema de coleta de água de chuva e de poção de tratamento de esgoto”, afirmou Bruno Giugliani.

Para erguer o Centro Educacional Amizade São Paulo, foi feito um grande mutirão comunitário, que contou com a participação de jovens formados na área de construção civil, bioconstrução e empreendedorismo social. Giugliani explicou que o projeto teve como preocupação privilegiar métodos construtivos amplamente difundidos na comunidade e a utilização de materiais locais de baixo custo.

Após a divulgação do resultado do Concurso Público Nacional de Arquitetura – Uma Escola para Guiné-Bissau, no dia 29 de outubro de 2010, Bruno Giugliani e parte da equipe que desenvolveu o projeto foram ao país africano para fazer uma visita de reconhecimento do local. O grupo fez ainda outras três visitas para acompanhamento da obra. Por causa do golpe de estado em 2012, a construção foi paralisada. Os trabalhos só foram retomados após a normalização da situação política do país.

Concurso uma escola para Guiné-Bissau

Em 2010, o IAB-DF, na gestão de Paulo Henrique Paranhos, realizou seu primeiro concurso totalmente em meio eletrônico, cujo tema era a construção de uma escola em Guiné-Bissau. O concurso, coordenado pelos arquitetos Fabiano Sobreira e Thiago de Andrade, teve 83 projetos entregues, todos analisados e julgados por uma comissão composta por arquitetos do Brasil, da Colômbia e do Paraguai.

O arquiteto, ex-presidente do IAB-BA e atual secretário executivo da Federação Pan-Americana de Associações de Arquitetos (FPAA), Nivaldo Andrade, que participou da competição, parabenizou a notícia de que o Centro Educacional Amizade São Paulo foi inaugurado: “Participei do concurso. Mesmo sem levar nenhum prêmio, gostei muito da experiência.”

Clique aqui para fazer o download das pranchas do projeto do Centro Educacional Amizade São Paulo

(Fotos: inauguração do Centro Educacional Amizade São Paulo e registro de uma das visitas dos arquitetos ao canteiro de obra da escola)

Galeria de imagens

Post sem comentários! Comentar o post

Comentários (01)

O principal objetivo desse trabalho foi comprovar que toda e qualquer contratação de projetos devem ser realizadas através de Concursos Públicos de Projetos independente da dimensão ou do tipo de obra. A tese de que os Concursos atendem somente obras especiais devem cair por terra. Um banco de jardim público merece um concurso público. "Obra Pública deve ter Concurso Público".

responda esse comentário>>