COSU subscreve denúncia do IAB-BA à UNESCO

Data: 04/08/2015

Departamento: Nacional

A denúncia feita no dia 7 de julho pelo Departamento Bahia do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-BA), pelo Conselho de Arquitetura e Urbanismo da Bahia (CAU/BA) e pelo Sindicato de Arquitetos e Urbanistas do Estado da Bahia (Sinarq-BA) à UNESCO sobre a condição de abandono do Centro Histórico de Salvador será subscrita pela Direção Nacional do IAB e pelo CAU/BR. A decisão foi anunciada no sábado, 1º de agosto, na 148ª Reunião do Conselho Superior do IAB (COSU).

Clique aqui para fazer o download da denúncia feita à UNESCO

O Instituto de Arquitetos pede aos órgãos ligados à preservação do patrimônio cultural e ao planejamento urbano, nas três instâncias do poder, a envidar esforços na reversão da degradação no Centro Histórico da capital baiana, envolvendo a sociedade civil organizada nos processos decisórios e na gestão do local.

Para a presidente do IAB-BA, Solange Araújo, ter ratificado o documento da denúncia à UNESCO na reunião do COSU significa ampliar e fortalecer a ação, que extrapola os interesses locais e nacionais e reflete uma das importantes funções previstas no Estatuto do IAB: a defesa do patrimônio cultural nacional e do meio ambiente.

“IAB-COSU reconhece o valor do Centro Histórico de Salvador, considerado um dos mais importantes da América Latina, quer seja pela sua extensão, quer seja pela integridade dos seus espaços urbanos, e por conservar ainda muito dos seus caracteres originais”, afirmou a presidente do IAB-BA, Solange Araújo.

O IAB-BA denuncia dificuldade de acesso à informação, por parte da população local, sobre os projetos em andamento, além da ausência de compromisso com a manutenção de residentes na área. De acordo com o departamento baiano, a área central de Salvador sofre com seu esvaziamento. A região conta hoje com aproximadamente 1.500 imóveis abandonados ou desocupados.

“A desarticulação entre as ações planejadas e em execução pelas diversas instâncias governamentais têm acelerado o processo de arruinamento desse sítio urbano, declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO em 1985”, diz documento apresentado pelo IAB-BA na reunião do COSU.

A demolição de 31 casarões tombados, na gestão do prefeito ACM Neto (DEM), em maio, acendeu o sinal de alerta das entidades de arquitetura e urbanismo da Bahia. Através de documento enviado para a Unesco, no dia 7 de julho, o IAB-BA, o CAU/BA e o Sinarq-BA pedem o envio imediato do Comitê de Patrimônio para monitorar e avaliar a situação de descaso do Centro Histórico de Salvador.

Galeria de imagens

Post sem comentários! Comentar o post