Alessandro Molon assina documento do IAB

Data: 02/09/2016

Departamento: IAB RJ

Candidato a prefeito do Rio de Janeiro, Alessandro Molon (Rede) assinou documento em que se compromete a, caso eleito, somente licitar obras depois de terem sido elaborados os correspondentes projetos completos, isto é: estudos preliminares, anteprojetos, projetos executivo, de arquitetura e complementares, bem como orçamentos e especificações de toda a obra. O compromisso foi assumido na quinta-feira, 1o de setembro, em debate com arquitetos e urbanistas promovido pelo Departamento Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB-RJ).

Compromisso pela qualidade das obras e transparência nos gastos públicos

Direito a um Rio de Janeiro democrático e sustentável

O diálogo entre os arquitetos  com os candidatos a prefeito nas próximas eleições é uma proposta do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e do Colégio Brasileiro de Arquitetos (CBA), composto pela Federação Nacional dos Arquitetos (FNA), pela Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (AsBEA), pela Associação Brasileira de Ensino de Arquitetura e Urbanismo (ABEA), pela Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP), além do próprio IAB.

O IAB-RJ apresentou também outros aspectos importantes que o vencedor do pleito eleitoral precisa levar em consideração na sua gestão, são eles: liderança da cidade do Rio de Janeiro na discussão metropolitana; planejamento integrado da cidade com fortalecimento dos órgãos técnicos; planejamento articulado com os 21 municípios da Região Metropolitana do Rio; integração das políticas e secretarias municipais; transparência no planejamento da cidade, com a submissão das decisões à sociedade civil organizada, entre outras.

No debate, Molon apresentou a visão de cidade que pensa. A valorização do Instituto Pereira Passos (IPP) será uma das prioridades de sua gestão. “O planejamento não estará numa secretaria, será um órgão de Estado. Não dá para o Rio pensar apenas nos próximos quatros anos, o planejamento tem que ir além. Queremos fazer do IPP um órgão de planejamento e reflexão de forma transparente e participativa”, afirmou o candidato. 

O combate à expansão da cidade e, com o governo estadual, priorizar investimentos nos meios de transporte de alta capacidade, como trens e metrô, são ações que Molon assegurou que vai desempenhar. Outras propostas discutidas foram incentivo à economia criativa, melhora da operação dos BRTs e ampliação do serviço de saneamento.

O papel do Rio na gestão metropolitana e a retomada da política de urbanização de favelas foram pontos esquecidos pelo candidato na sua apresentação. Questionado pelo presidente do IAB-RJ, Pedro da Luz Moreira, sobre os temas, Molon disse que o Rio, com seis milhões de habitantes, não pode ficar alheio às questões metropolitanas. Quanto à urbanização das favelas, o candidato pretende colocar em prática o que foi desenvolvido pelo Morar Carioca.

“O Morar Carioca foi feito com participação intensa e decisiva do IAB. O livro ficou lindo, mas não foi colocado em prática. A gente tem o ponto de partida, o Morar Carioca. Precisamos dar cidadania, direito das pessoas a uma moradia digna. A regularização fundiária é fundamental para que as pessoas sejam reconhecidas como proprietárias, mas também porque pode gerar bons resultados econômicos. Geração de emprego, distribuição de renda, aquecimento da economia. Basta pegar o Morar Carioca e colocar em prática”, afirmou Molon.

O IAB-RJ apresentará o documento “Compromisso pela qualidade das obras e transparência nos gastos” a todos os candidatos a prefeito do Rio de Janeiro em debates que o instituto promoverá na Casa do Arquiteto Oscar Niemeyer. O próximo evento confirmado é com Carlos Osório (PSDB), no dia 20 de setembro, às 19h. O debate é aberto ao público. 

Post sem comentários! Comentar o post