Notas de Posicionamento

IAB pede para que senadores rejeitem ampliação de RDC

IAB pede para que senadores rejeitem ampliação de RDC

"Enquanto a sociedade acompanha indignada os escândalos denunciados pela Operação Lava Jato, é inadmissível que o mesmo procedimento, que deu margem a essas ações de conluio entre administradores e empreiteiras no âmbito da Petrobras, seja estendido a todas as obras de mobilidade urbana e infraestrutura no país. É o caso da Medida Provisória encaminhada pelo governo ao Congresso, que foi referendada pela Câmara semana passada e hoje está na pauta para ser votada no Senado. Está mais do que provado que transferir às empreiteiras a responsabilidade pelos projetos é um caminho seguro para aumento de preços, aditivos, má qualidade da obra e corrupção. O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) protesta contra esse encaminhamento, que tem também a desaprovação das entidades de arquitetura e engenharia do país. Apelamos aos senadores da República para que rejeitem o Projeto de Lei de Conversão nº 17/2015." - Sérgio Magalhães, presidente do IAB.

Posicionamento sobre a Vila Autódromo

Posicionamento sobre a Vila Autódromo

O IAB-RJ repudia veementemente o decreto, publicado pelo prefeito Eduardo Paes no dia 19 de março de 2015, que transforma a Vila Autódromo, na Zona Oeste do Rio, em área de utilidade pública para fins de desapropriação.

O Instituto de Arquitetos do Brasil - Departamento do Rio de Janeiro (IAB-RJ) já se posicionou diversas vezes a favor da urbanização da favela e de sua integração ao conjunto de mudanças que vem sendo implantado no âmbito das obras olímpicas.

O IAB-RJ, como responsável pelo Concurso Parque Olímpico, premiou um projeto que declarava, em seu memorial, a opção pela manutenção da Vila Autódromo, como meio de respeitar o convívio entre favela e cidade formal, tradição da cidade.

A entidade participou ainda de um grupo multidisciplinar, que envolvia instituições relevantes como UFRJ, UERJ, Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional (Ippur), que discutiu o tema e decidiu, de maneira unânime, pela viabilidade da permanência da Vila Autódromo.

Por último, o IAB-RJ participou do júri da premiação Urban Age, promovida pelo Deutsche Bank, que premiou o projeto de resistência da Vila Autódromo, manifestação da mais alta urbanidade. A solenidade de premiação, aliás, foi realizada em nossa sede.

O IAB-RJ entende o projeto como um território do conflito. Diferentes atores e agentes, em igualdade de condições, expressam suas expectativas em relação às transformações e modificações pretendidas.

O papel do arquiteto é acomodar e articular essas diferentes expectativas de forma a construir um futuro mais inclusivo e pacífico para a cidade brasileira. Essa forma de encarar o projeto, que faz parte da tradição da rede do IAB em todo o país, claramente celebra a ampliação da democracia na cidade brasileira, única forma de construção de um Brasil mais justo.

Posicionamento sobre o Concurso 3 estações

Posicionamento sobre o Concurso 3 estações

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) desaconselha a participação dos arquitetos no "Concurso 3 estações", promovido pela USP Cidades, EMBARQ Brasil e WRI Brasil, para a escolha de ideias de intervenções urbanas, mobilidade e microacessibilidade na cidade de São Paulo. Para o IAB, as bases da competição não atendem aos interesses da profissão nem à promoção de ideias para o debate urbano.

Posicionamento sobre proposta de demolição do Cais José Estelita

Posicionamento sobre proposta de demolição do Cais José Estelita

O Instituto de Arquitetos do Brasil reafirma os termos da Nota Pública emitida pelo Departamento de Pernambuco do IAB no sentido de ampliar os esforços e a mobilização da sociedade para a discussão do Projeto Novo Recife no Cais José Estelita.

Entende o IAB que a confiança que os arquitetos depositam na busca de soluções para um projeto mais adequado aos parâmetros do lugar é passo importante para um Planejamento Integrador. Ação que será, na certa, conduzida com reflexão e diálogo pela Prefeitura Municipal do Recife.
Entende o IAB que a ambiência a ser aí construída pode ser expressão exemplar e contemporânea da cidade democrática e inclusiva com a qual sonham todos os cidadãos da Região Metropolitana do Recife.
O Instituto de Arquitetos do Brasil, portanto, congratula-se com os arquitetos pernambucanos pela luta empreendida, acreditando que a força do diálogo alarga os horizontes da gestão pública para a construção de cidades melhores e com menor desigualdade social.

Posicionamento sobre concurso do BNDES

Posicionamento sobre concurso do BNDES

O Instituto de Arquitetos do Brasil-Departamento do Rio de Janeiro (IAB-RJ) desaconselha a participação de arquitetos no concurso público nacional, promovido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para a escolha do anteprojeto de arquitetura do novo prédio anexo da instituição financeira, no Rio de Janeiro. A competição, do modo como se apresenta, fere a integridade do projeto e os direitos de autoria ao explicitar que não contratará o arquiteto vencedor do concurso para o desenvolvimento de seu projeto, além de exigir a cessão integral da autoria. Nos parece um procedimento inadequado e que, em seu cerne, não deve ser apoiado por qualquer instituição que pretenda a transparência e a promoção do interesse público.

Posicionamento sobre Guaratiba

Posicionamento sobre Guaratiba

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) considera necessária a elaboração de um Plano Geral para Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, assim como o congelamento das licenças de obras para a região por 180 dias. Para a entidade, são premissas importantes prover com infraestrutura e serviços públicos os bairros populares já existentes em Guaratiba e evitar a expansão da cidade, incompatível com a universalização da prestação dos serviços públicos. Alerta também ao indispensável e estrito atendimento às exigências ambientais.

Preservação do Mercado Público Municipal de Porto Alegre

Preservação do Mercado Público Municipal de Porto Alegre

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) defende incondicionalmente a restauração do Mercado Público Municipal de Porto Alegre, preservando-se todas as suas características. É vital que este patrimônio, parcialmente destruído por um incêndio em 6 de julho de 2013, seja recuperado e valorizado como elemento histórico e cultural do Rio Grande do Sul e do Brasil. Trata-se de um espaço consolidado pela trajetória e vivência de diversas gerações e, como tal, deve ser mantido. Crédito da Foto: Tetraktys/Wikipedia

Posicionamento sobre o crescimento desordenado na Freguesia, Zona Oeste do Rio

Posicionamento sobre o crescimento desordenado na Freguesia, Zona Oeste do Rio

Nota de posicionamento do IAB sobre o crescimento desordenado na Freguesia, Zona Oeste do Rio, e um decreto assinado em 16 de maio pelo prefeito Eduardo Paes, tornando a localidade “Área de Especial Interesse Ambiental”, que é válido por apenas dois meses: “A medida vai durar apenas dois meses. Congela os empreendimentos imobiliários da Região da Freguesia, mas o que são dois meses no tempo de uma cidade? O urbanismo não pode ser pensado setorialmente, é preciso uma visão menos parcial, que envolva todas as ações e propostas para a área. O território é muito sensível às transformações.” Pedro da Luz Moreira, vice-presidente do IAB-RJ e diretor do IAB Nacional