Nota Apagão no Estado do Amapá

Foto: Hora do Povo

O Instituto de Arquitetos do Brasil - IAB acompanha, consternado, notícias sobre a situação de calamidade pública no Amapá, e vê com preocupação a falta de providências da concessionária para sanar os problemas enfrentados pela população.

A interrupção dos serviços de distribuição de energia no Estado do Amapá há mais de 100 horas já se reflete na interrupção do acesso à água e no desabastecimento de itens básicos, causando filas imensas por comida e combustíveis e o acirramento da violência. Sem eletricidade, moradias, hospitais e repartições estão em situação precária; agências bancárias e caixas eletrônicos estão em apagão; rádios e emissoras de televisão estão fora do ar e o isolamento social está sendo reiteradamente desrespeitado.

São inaceitáveis a inoperância, a irresponsabilidade e a morosidade da empresa privada concessionária de energia elétrica em restaurar o pleno funcionamento de seus serviços, essenciais à vida e à sobrevivência da população. enquanto as empresas públicas se esforçam para suprir suas deficiências.

O planejamento e a garantia de serviços estratégicos para a cidade, como fornecimento de luz e água, não podem ser objeto de privatizações que, ao almejar apenas o lucro, deixam de suprir direitos básicos dos cidadãos.

O Instituto de Arquitetos do Brasil se solidariza com a população do Estado do Amapá, e exige a urgente solução de tais problemas, tanto pela empresa privada prestadora dos serviços de distribuição de energia, quanto pelas autoridades públicas responsáveis.

Belo Horizonte, 8 de novembro de 2020.