IAB LANÇA PAUTA NACIONAL PARA ELEIÇÕES DO CAU

As eleições do CAU/BR e dos CAU/UFs estão confirmadas para 15 de outubro de 2020.  Para apresentar propostas que representem a posição do IAB em relação ao papel do Conselho, foi criada uma Comissão Extraordinária no 158º COSU cujo trabalho resultou na elaboração de dois documentos que servirão como base para discussão ampla e estruturação de apoios a chapas para essas eleições.

O primeiro é um Diagnóstico da Conjuntura Atual do CAU que demonstra a oportunidade inédita que o IAB tem de participar das eleições propondo a todos os arquitetos e urbanistas uma pauta nacional. “Nas três eleições anteriores, o IAB esteve fortemente presente, compondo e apoiando Chapas concorrentes em vários Estados, porém, este apoio se deu sem uma Plataforma nacional e unificada, capaz de representar os posicionamentos considerados obrigatórios da Entidade em relação ao CAU”, relata o documento. “Agora, é possível uma mobilização para abrir um espaço de debate de uma pauta nacional a partir do chamamento à participação”.
 

O documento alerta que a pandemia do coronavírus trouxe à tona a necessidade de rediscutir opções tanto individuais, quanto profissionais e de pensar coletivamente a cidade que queremos. “Temos a responsabilidade de enfrentar três pautas urgentes: a da saúde coletiva; a econômica com recuperação do emprego, trabalho e renda, e a política face a ameaça à democracia escancarada pelas ações do atual governo federal. Cabe ao CAU pugnar por um Plano de Recuperação Econômica Solidário, que paute suas ações pela diminuição das desigualdades espaciais através da ação coordenada dos três níveis de governo, com a participação direta da sociedade civil.”
 

Propostas

 
O segundo documento elaborado pela Comissão Extraordinária é uma Plataforma Síntese com as propostas e estratégias a serem discutidas e aprimoradas nas articulações com outras entidades e parceiros, além de adaptadas às realidades regionais. Este documento traz sete princípios norteadores para a atuação do CAU:
 
1. Respeito à ética na gestão
2. Eficiência e transparência nas ações e comunicação
3. Orientação e Fiscalização da prática profissional
4. Compromisso, Valorização e Fortalecimento da profissão
5. Gestão democrática e participativa
6. Arquitetura e Urbanismo para todos! ATHIS - Mais Arquitetos!
7. Adoção de políticas de Equidade e Representatividade
 
Para facilitar a divulgação e o entendimento, as propostas foram divididas em seis dimensões, cada uma com ações específicas a serem implementadas  - Sociedade, Instituições, Mercado e Atuação Profissional, Ensino, Estrutura e Equidade e Representatividade. O documento é uma base aberta, deixando espaço para que cada estado possa acrescentar ou complementar com questões locais que considerar importantes.
 
“Estamos a poucas semanas para finalizar o prazo de inscrições das chapas concorrentes. É uma contagem regressiva para que o IAB, em cada estado, possa se organizar, colaborando na construção e apoiando chapas, com base nesses documentos, para realmente termos um objetivo comum e compartilhado na condução do CAU para a próxima gestão”, diz Tiago Holzmann da Silva, coordenador da Comissão do COSU.

O Presidente do IAB nacional, Nivaldo Andrade, complementa que “a partir de agora, temos uma agenda estruturada e consistente para costurar alianças e apoios com outras entidades e, juntos, estarmos prontos a enfrentar os desafios ainda mais urgentes para os arquitetos e urbanistas nos próximos anos”.

Acesse página para baixar os documentos